top of page
  • Fernanda Biancareli

Machu Picchu, a cidade mágica do Peru


Quando pensamos no destino Peru, é provável que a primeira imagem que apareça em sua mente é Machu Picchu, a cidade perdida dos Incas, localizada no topo de uma montanha, no vale do rio Urubamba. Machu Picchu foi considerada uma das 7 maravilhas do mundo moderno, um lugar com um toque místico e de uma energia sem igual.

Diz a lenda que cada pessoa tem o momento certo para pisar no Vale Sagrado e sentir a energia das montanhas.


Aconteceu comigo em 2017, quando recebi um convite para conhecer o país. Saímos do Brasil em um voo da Latam de aproximadamente 5 horas com destino a Lima, capital do Peru. Fiz um post dedicado exclusivamente a gastronomia de Lima, uma das mais impressionantes que eu já conheci e recomendo fortemente, não deixe de visitar a página.


Brasileiros não precisam de visto para visitar o Peru, somente passaporte válido.


Quando chegamos em Lima, pegamos imediatamente um outro voo, desta vez com destino a Cusco, aproximadamente 1 hora de voo, conhecida também como o “umbigo do mundo”, é uma cidade pequena localizada nos Andes peruanos.


Com uma altitude de 3.399 metros em relação ao nível do mar, algumas pessoas podem sentir um pouco de mal estar, como tonturas e falta de ar. Uma dica, é chegar em Cusco e na sequência descer para o vale sagrado, que foi o que fizemos, pegamos uma van e chegamos em aproximadamente 1 hora e 30 minutos na cidade, nessa região a altitude varia entre 2.800 e 2.900 metros, e se torna mais fácil o processo de aclimação (adaptação ao clima).



Anota essa dica: se você estiver se sentindo mal, tome o chá de coca, é uma folha consumida diariamente pelos habitantes da região, pois ela auxilia no processo digestivo e é um estimulante respiratório para equilibrar a fadiga, aquela sensação de cansaço. E não se esqueça, vá devagar, não faça nada correndo, tenha tranquilidade.



Nossa hospedagem no vale sagrado foi Aranwa Sacred Valley Hotel & Wellness, um hotel maravilhoso, com uma vista linda, spa, um ótimo restaurante, quartos amplos e confortáveis, tudo o que você precisa depois de uma viagem como essa. Se você tem mais dias disponíveis para a viagem, eu aconselho no mínimo 3 noites nesta cidade e se assim for, deixe para conhecer Machu Picchu no terceiro dia, para que possa se adaptar melhor ao clima e aproveitar ao máximo a visita as montanhas.


Como eu não tinha muitos dias, fiquei 02 noites hospedada neste hotel, e no dia seguinte já saímos bem cedo com ônibus que estava nos aguardando na recepção, com destino a Estação Ollantaytambo, de onde saem os trens para Machu Picchu.


Embarcamos no trem Peru Rail Vistadome, com amplas janelas de vidro, um trajeto de 1h30 com paisagens fantásticas, nem vi o tempo passar. Existem vários tipos de trem, tanto inferiores, quanto superiores ao que eu embarquei. Assim que chegamos em Águas Calientes (cidade de Machu Picchu), pegamos uma van, que nos levou para o portão de entrada da montanha.


Uma dica importantíssima é fazer o trajeto com o um guia local, meu grupo teve o enorme prazer de ser conduzido por um guia espetacular e que com certeza tornou nossa visita muito mais especial. É importante também, antes de fazer a viagem para Machu Picchu ter um bom preparo físico, pois além do trajeto para subir a montanha, a altitude dificulta um pouco a respiração.